Gangorras

 

 

 

Produtos Turísticos
Produtos Solidários
Fotos
  Gangorras  
© 05/09/2007 - Banco de imagens do Programa

Gangorras
Gangorras
Gangorras

 

COMO FAZER SUA RESERVA?

Conheça os Receptivos Familiares (hospedagem familiar) a partir das informações ao lado. 

Em SAIBA MAIS você terá mais detalhes do Receptivo, da família anfitriã e fotos internas da casa. 

Já escolheu o Receptivo de sua preferência? 

Preencha a FICHA DE RESERVA que aparecerá na tela. Envie sua Ficha de Reserva por fax, e-mail ou telefone, de acordo com o contato de cada localidade.

 

Rota para Gangorras

Onde estou?    
Nome completo da cidade Seu estado  



Imprimir

 

Sobre a localidade


© 05/09/2007 - Banco de imagens do Programa
Ampliar Enviar como cartão

A história do povoado de Gangorras, no Alto Jequitinhonha, teve origem com três fazendas, que no início do século XIX possuíam grandes Gangorras, instrumentos que eram utilizados para fazer a farinha de milho e a farinha de mandioca. Daí derivou-se o nome da localidade, e, segundo antigos moradores, a produção das fazendas era voltada para o milho, cana de açúcar, e criação de bovinos e suínos, além da grande plantação de frutas.

Logo, as fazendas dividiram-se, formando pequenos terrenos vendidos para diversas famílias, as quais viviam da produção agrícola comercializada através de tropas para Diamantina. Hoje em dia, ainda é possível encontrar um antigo Moinho D’água que de acordo com seu proprietário foi construído a cerca de 100 anos.

Visitar Gangorras é apreciar a paisagem rural, usufruir da tranqüilidade da localidade e da hospitalidade de seus moradores, além de trocar experiências com a comunidade.

População: 28 habitantes

Sede: Couto de Magalhães de Minas

Distância de Couto de Magalhães de Minas a Gangorras: 07 km.

Acesso a Couto de Magalhães de Minas: estrada de terra.

Infra-estrutura: rede elétrica e água encanada

 

Versão em inglês

 

The history of the Gangorras (seesaws), in the Upper Jequitinhonha region, begins with three farms in the 19th century. The farms had large seesaw-like equipment used for producing corn and manioc meals, thus the name Gangorras. According to older residents, the farms had corn, sugarcane, livestock and large fruit plantations.

Soon the farms were broken up and sold in small lots to several families. These lived off the land and sold their produce to merchants who carried the cargoes to Diamantina. There is also a water mill dating back to the early 20th century.

You may visit Gangorras to enjoy the rural landscape, the peaceful surroundings and the residents hospitality, while sharing your skills and knowledge.

Population: 28

Administration: Couto de Magalhães de Minas

Distance from Couto de Magalhães de Minas to Gangorras: 7 km (4.3 miles).

Access to Couto de Magalhães de Minas: dirt road.

Infrastructure: electric power and water supply

 


 

Lugares para visitar

Hospedagem Familiar

0 até 0 de 0
 

Lugares para visitar

 

 

 Topo

 

 

 

.CONTATO@TURISMOSOLIDARIO.COM.BR .